Atividade Física: Saúde do CORPO e da MENTE!

Profa. de Ed. Física Paula Fortes CREF 014132/G-RJ, Pós-graduada em Musculação e Personal Trainer, 13 anos de experiência no Brasil (RJ/RS), Portugal, Dubai, Irã e Costa Rica.Twitter:@paula__personal /Facebook: http://on.fb.me/flFN8W

26/4/12

Riscos das atividades físicas não-orientadas

É muito comum passarmos por parques, praias e ciclovias e presenciarmos pessoas de todas as idades e de ambos os sexos se exercitando através de uma caminhada, corrida, bicicleta, jogo de vôlei, futebol, dentre outras modalidades, sendo que, boa parte delas não treina sob a orientação de um professor de educação física. Sendo assim, até que ponto estes praticantes estão se beneficiando? Eles sabem seus limites ou se estão sobrecarregando músculos e articulações? Provavelmente não, pois não seguem os princípios desportivos, muitos não fazem sequer aquecimento, nem realizam a preparação e fortalecimentos necessários e adequados a cada modalidade. Esta falta de orientação pode custar uma lesão grave, como diversos tipos de tendinites, desgastes articulares, estiramentos e contraturas musculares, rupturas de ligamentos e até mesmo, problemas cardíacos. Para evitar os casos supracitados e alcançarem mais rapidamente seus objetivos, (estética, performance ou melhora da qualidade de vida e saúde) estes praticantes deveriam, após realizar uma avaliação médica, procurar um professor de Educação Física para realizar avaliações periódicas, um planejamento individual, bem como incluir a musculação neste plano de treino, para preparar as articulações e músculos solicitados na sua atividade física de rotina. Danos mais comuns causados pela prática de atividade física não-orientada: Em relação aos membros inferiores, tendinite patelar, condromalácia, lesões de menicos e ligamentos, contraturas e estiramentos musculares (comumente nos músculos do quadríceps, ísquios tibiais e panturrilhas), diferentes lesões no quadril, dores pelo excesso de impacto e sobrepeso, são alguns dos danos que podemos citar gerados por atividades físicas sem orientação e executadas de forma incorreta, conforme os exemplos abaixo: 1- Pedalar com o banco muito baixo, o que impede o movimento completo da extensão do joelho (o ideal seria o banco estar na altura do quadril); 2- O uso de caneleiras nas caminhadas que prejudica e modifica a biomecânica do movimento; 3- Esportes praticados em piso duro como futebol, vôlei, basquete, tênis, entre outros... que promovem alto impacto, e, devido a fraqueza muscular, o risco de entorses torna-se mais elevado; 4- O uso de tênis inadequados, sem amortecimento (com a sola muito fina), que promovem maior impacto nas articulações, podendo gerar, além das lesões supracitadas, inflamações na tíbia (síndrome do estresse tibial medial), fascite plantar (inflamação na parte medial da sola do pé) e esporão de calcâneo (uma calcificação no calcanhar gerada pelo excesso de impacto); 5- Quanto aos estiramentos e contraturas musculares, os músculos da coxa e da panturrilha são os mais atingidos, por estarem presentes na maioria das atividades e não serem aquecidos, fortalecidos e alongados adequadamente. Em relação à coluna vertebral, os movimentos mais prejudiciais são aqueles que exigem permanência em uma mesma posição, em especial na flexão ou na hiperextensão do tronco, como também aqueles que promovem compressão sob as vértebras (impacto). A região lombar é a mais afetada, principalmente pela falta de alongamento e fortalecimentos específicos desta região em conjunto ou não com a prática de atividades físicas com alto impacto. Este quadro pode provocar lesões e deformidades como hérnia de disco, pinçamento do nervo ciático e hiperlordose lombar. Seguem abaixo alguns exemplos muito comuns: 1- Pedalar com o banco muito distante do guidão, o que leva a uma flexão de tronco constante, o que gera uma compressão dos discos intervertebrais lombares e uma postura cifótica inadequada, sobrecarregando a coluna cervical; 2- Surf e body board durante a remada, o movimento de passe com peito no futevôlei, ambas as atividades exigem a hiperextensão, comprimindo a região lombar e gerando uma postura lordótica inadequada; 3- Todas aquelas de alto impacto, como a corrida e esportes em geral no piso duro, pois geram movimentos consecutivos de compressão; 4- Tênis inadequados nas atividades supracitadas, que levam ao aumento da compressão, em especial na região lombar, sobrecarregando os discos intervertebrais. Em relação aos membros superiores, as articulações do ombro e cotovelo sofrem com a presença de bursites, tendinites no manguito rotador, degenerações na cartilagem do ombro e epicondilite medial e lateral nos cotovelos. Seguem abaixo alguns exemplos de atividades físicas que causam estas lesões: 1- Realizar barras, paralelas e flexões frequentemente (movimentos que exigem um preparo músculo-articular das articulações do ombro e cotovelo); 2- Jogar tênis e frescobol (movimentos repetitivos de rotação interna e externa que sobrecarregam os ligamentos do ombro e cotovelo podendo gerar tendinites em ambas as articulações); 3- Nadar (rotações repetitivas em todos os nados que sobrecarregam a articulação do ombro); Quanto ao risco de problemas cardíacos, este aumenta drasticamente em atletas de final de semana, que na grande maioria são indivíduos mal condicionados, destreinados, acima do peso, com péssimos hábitos de vida (má alimentação, sedentarismo, tabagismo e alcoolismo, colesterol, glicose e pressão arterial elevados) que apenas praticam seu esporte preferido 1 vez por semana. Este risco ocorre devido à falta de estímulo ao coração durante a semana e ao longo da vida, ou seja, pela ausência de exercícios aeróbios que deveriam fazer parte da rotina destes praticantes. Sendo assim, qualquer estímulo mais intenso, como por exemplo numa partida de futebol de final de semana, pode elevar a frequência cardíaca além do que o coração suporta, aproximando-se ou ultrapassando 100% de sua capacidade, o que pode ser fatal, ocasionando uma parada cardíaca.
criado por Paula Fortes Personal    15:21:15 — Filed under: Sem categoria

4 Comments »

  1. e bom se esesitar;

    Comment by allisson costa — Monday, 11 de March de 2013 @ 16:10:21

  2. eu gostei mt achei tudo (mentira)

    Comment by kaylane — Monday, 10 de June de 2013 @ 14:23:47

  3. Paula Muito bom o artigo...tanto seu blog quanto o Liga da Saúde esta nos meus favoritos....posso te fazer uma pergunta? Aqui na academia onde treino o levantamento terra é proibido pelos professores que alegam lesões a médio e a longo prazo na coluna, vi que você cita alguns exercícios que podem trazer lesões a coluna vertebral...o levantamento terra estaria incluso? Obrigado!

    Comment by Ricardo Leite — Wednesday, 14 de August de 2013 @ 20:01:27

  4. Oi Ricardo, Obrigada! Qto ao Levantamento terra, considero este e o Agachamento, os melhores exercícios e mais completos para membros inferiores (coxas e glúteos). O levantamento terra ainda fortalece os paravertebrais (mto importante mantê-los fortalecidos para a prevenção de lesões na coluna) Se o indivíduo tiver alguma lesão ou desvio na coluna, este exercício deverá ser testado com pouca carga ou nenhuma. Na minha opinião, não podemos generalizar se um exercício faz mal ou bem, mas sim avaliar cada aluno e prescrever o treino com exercícios que sejam mais eficazes para cada perfil e objetivo, respeitando as condições físicas do aluno. O professor deverá ter o feeling para isso, já que cada ser é ÚNICO! Bjs

    Comment by Profa. Paula Fortes — Thursday, 15 de August de 2013 @ 07:45:30

Leave a comment

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://paulinhapersonal.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.